Play

Sim, ele é um bobo, cheio de vontades de viver, com grandes obstáculos que o impedem de ser aquele algo grandioso que passou a sonhar de uns anos pra cá. Muitas coisas o barram de ser totalmente verdadeiro para o mundo. Não é fácil, sabe? Ser tudo que se quer ser e ainda cumprir com todas essas obrigações sociais exigidas diariamente, pressionando ações que não lhe pertencem.

Ele tem se pegado pensando muito ultimamente "não pergunte e não conte", quer viver o agora, sem que seja definido pelo seu passado com toda aquela bagagem e algumas de suas más decisões, talvez elas não tenham sido decisões tão ruins assim, mas ele sabe que elas não são muito bem aceitas. É o ressoar de um eco eterno, acompanhando sua vida, como um fantasma, que afasta quem se aproxima.

As vezes ele se sente em um redemoinho, incerto do que fazer, não sabendo qual passo tomar. Se cansou dessas vozes, dizendo o que fazer, confundindo seus sentidos e criando uma razão irreal onde deve suprir a vontade daqueles que nada se importam com suas vontades.

Ele só queria estar compartilhando esses momentos gloriosos com alguém, parecia tão monótono admirar aquela paisagem sozinho, solitário.

Até que ele assistiu esse espetáculo que o haviam convidado e lhe deixou maravilhado, a emoção parecia ressoar dentro de si pelo resto do dia, como borboletas com asas de fadas, surreal, um frio na barriga e aquela leve ansiedade do que poderia acontecer dali pra frente. Extasiante e assustador.

Parece que ele vive para expressar isso em ações, era tão difícil reprimir tudo dentro de si, um simples abraço ou um olhar deixaria totalmente exposto o que sentia, aí sim conseguiria externalizar essa necessidade interior, cansou de ser o que se esperava que fosse, passou a ser o que sentia. Ah, e como ele sentia, mal cabia dentro dele, sempre foi muito mais forte, um impulso estonteante, muito mais intenso do que parecia, mas muitas vezes oprimido, então deixe escapar, deixe demonstrar, deixe estar, como o ar corre sem pensar, o sol brilha sem perguntar e a noite cai sem permissão.

E quando se encontrar, nunca mais deixe que eles lhe separem novamente, porque nada melhor poderão oferecer em troca, nada mais completaria a sensação que é saber quem ele realmente era.

Tove Lo – Don't Ask, Don't Tell

I’m curious to know who you are
Eu estou curioso em saber quem você é

Know what turns you on, turns you off
Saber o que te excita, o que te broxa

Know we’re not kids anymore
Saber que não somos mais crianças

Know we’ve both been here before
Saber que já estivemos aqui antes

These butterflies scare me to death
Essas borboletas me deixam assustado

Feel them beating out of my chest
Sinto elas batendo contra o meu peito

Make me come, come so alive
Me faça vir, vir vívido

And go with your moves through the night
E ir com seus movimentos além da noite


Pré-Refrão (2x):

We’ve both seen the world
Nós dois já vimos o mundo

Live and learn
Vivendo e aprendendo

Don’t know what you heard
Não sei o que você ouviu

But it, but it can’t be worse than I know
Mas isso, isso não pode ser pior do que eu sei


Refrão:

And baby, don’t ask, then don’t tell
E querido, não pergunte, então não conte

Already know you’re fucked up
Já sei que você é ferrado

And it’s cool with me
E por mim está tudo bem

My past and don’t ask and don’t tell
Meu passado e não pergunte e não conte

No need to share too much
Não precisa compartilhar muito

Come on, let it be, ah (and baby)
Vamos, deixe ser


Experience on more than one way
Experimente de mais de uma forma

Whatever I need, you got me
O que você precisar, você me tem

Whisper dirty things that we like
Sussurando safadezas que nós gostamos

Images stuck on my mind
Imagens presas na minha mente


-Pré-Refrão 2x-

-Refrão-


There’s nothing I don’t wanna know, yeah
Não há nada que eu não queira saber

And I don’t believe in lies
E eu não acredito em mentiras

Baby, we’re so good together
Querido, nós somos tão bons juntos

Does it matter what we hide?
Importa o que nós escondemos?


-Refrão-